A gênese das coisas

1 comment

Li a palavra gênese num texto
E gênese passou a existir a partir dali
E passei a usar gênese no que escrevo
E vejo gênese por tudo agora, por tudo.
Como se tivesse nascido – e se espalhado por aí
A gênese quando a conheci
Que outras coisas nascem pro mundo
Quando nascem pros nossos olhos?
Essa pergunta nasce aqui.

Juliano RigattiA gênese das coisas

1 comment

Join the conversation
  • Anonymous - 2 de julho de 2006 reply

    nasce para os olhos quando a coisa interessa para a vida,
    Juliano,
    meu amigo:
    uzine! uzine bastante!
    Roberto,
    pará–>

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *